Como salvar a sua agenda nas nuvens – Backup dos contatos no Google

Uma das coisas que mais vejo nas mídias sociais são amigos postando: “Fui roubado, ou perdi meu celular e toda a minha agenda, favor enviar o seu contato inbox”. Quando vejo esse tipo de post lembro-me que não utilizo a agenda dos meus aparelhos desde o meu primeiro Smartphone com Android. Ah, é bom lembrar que essa minha dica é para quem tem aparelhos com Android. Isso mesmo! Ao utilizar um Smartphone com o Android você obrigatoriamente tem que ter uma conta no GMAIL, logo pode armazenar todos os seus contatos nas nuvens, sem a necessidade de transferir manualmente toda a sua agenda quando trocar de Smartphone. Mas como fazer isso?  Muito simples! Ao cadastrar um novo número em seu telefone, aparecem algumas opções, dentre elas a opção de salvar em seu e-mail do GMAIL. Veja nas imagens:   Prontinho.  Ao cadastrar os seus contatos dessa forma, toda a sua agenda de contatos ficará disponível nas nuvens, inclusive acessando por um computador, veja nas imagens a seguir:     Ou seja, se o seu Smartphone ficar sem bateria você conseguirá acessar a sua agenda pelo computador, e caso tenha algum sinistro com o seu aparelho, ao cadastrar o mesmo e-mail do GMAIL em um novo Smartphone sua agenda será automaticamente atualizada. Dessa forma você não perderá os seus contatos e lembre-se: informação é um dos bens mais valiosos.   Julio Cesar Rogério Especialista em Marketing pela Universidade Cândido Mendes (UCAM) e Bacharel em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pela Universidade Salgado de Oliveira, atua no mercado digital desde 2002, tendo participado de cursos, treinamentos e consultorias oficiais com...

Como Usar as Mídias Sociais Para Divulgar a Sua Empresa

Não é mais novidade que as mídias sociais são grandes aliadas na divulgação de produtos e serviços. Nunca foi tão fácil segmentar campanhas e alcançar tantos clientes em potencial com um investimento tão enxuto. Empresas de vários segmentos e tamanhos estão presentes nas mídias sociais, inclusive migrando o investimento de outras ações de marketing para elas. Gerenciar uma mídia social parece tarefa fácil, mas o planejamento, a execução e o monitoramento são atividades árduas e exigem muita disciplina. 1 – Planeje – Tenha em mente o seu público-alvo, desenvolva estratégias e programe publicações pertinentes com frenquência. Ter um perfil e não publicar nunca não vai adiantar nadinha.  “Quem não é visto, não é lembrado”. O algoritmo do Facebook por exemplo, apresenta posts no feed de notícias dos usuários que mais interagem (curtem, comentam, enviam mensagens) com a Fan Page. 2 – As melhores imagens e textos – Imagem é tudo!  Cuide muito bem da imagem da sua empresa, logo publique imagens lindas, com boas resoluções, formatos e extensões de arquivos ideais para cada mídia, com textos ideais para as mídias sociais (curtos). Nada de ficar escrevendo um monte de coisas em cima das imagens, mídias sociais como o Facebook não gostam dessa prática. Fique ligado na qualidade das imagens, textos curtos e utilize #hashtags certeiras no Instagram. Os títulos, descrições corretas e relevantes de vídeos no Youtube, aumentam muito as chances do vídeo ser bem colocado nas buscas. Obs.: O Youtube é o segundo colocado em buscas no mundo, perdendo apenas para o próprio Google. 3 – Publique conteúdo relevante – Estamos na era da informação e nem sempre a...

Inbound e Outbound Marketing – O que é?

Você já ouviu falar em Inbound Marketing ? Sabe o quanto esse novo método é importante?     Essa estratégia, também chamada de Novo Marketing, tem como premissa a conquista, ou seja, ganhar o interesse das pessoas. Envolvê-las oferecendo conteúdo, compartilhamento de conhecimentos e estabelecendo um relacionamento. Diferente do marketing tradicional, no qual chamamos de Outbound marketing, que oferece seus produtos e/ou serviços de forma mais direta e intrusiva.   Existem várias formas de se praticar o Inbound marketing, porém seu maior nicho está na mídia online. O consumidor que se encontra no meio online, hoje, é alguém com controle total de seus canais e espaços sociais, ou seja, ele escolhe o que quer ver e ouvir entre milhões de possibilidades. Diferente do consumidor fora da web que está sujeito a “interrupções”, por exemplo:Um anúncio na rádio “interrompe” aquele momento de entretenimento do ouvinte e tem mais chances de ser descartado, ignorado e esquecido.   Algumas ferramentas de conquista: Facebook Youtube Instagram E-books gratuitos Blog Fóruns Freebies  Podcast   Oferecendo valor agregado, ou seja, “algo a mais” você desperta o interesse e neste processo contínuo suas chances de conquista são maiores.   Ingrid Adami   Bacharel em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pela Universidade Estácio de Sá (UNESA), atua no mercado publicitário desde 2012. Além de  Planner e Redatora na Equilíbrio Digital, é a Blogueira responsável pelo Blog Killer Queen, onde escreve sobre literatura, decoração, música, maquiagem, moda, arte, resenhas e outras coisas…...

O novo cenário para a divulgação da informação, produtos e serviços

Assim como tudo no mundo, os meios de comunicação estão passando por transformações rápidas. A quantidade de informações que um ser humano recebia em toda a sua vida na idade média, é recebida em menos de um dia atualmente.  Isso mesmo! Uma vida toda de notícias, fofocas, boatos, etc em apenas um dia.  Surpreendente não é!? Mas se pararmos para pensar em todos os veículos que surgiram de lá pra cá, não ficamos tão assustados, afinal, nem a revolução industrial tinha ocorrido ainda, apenas após Gutemberg criar a prensa, o jornalismo começou a caminhar com passos mais rápidos, iniciando uma nova era na divulgação das informações e do jornalismo. Pouco mais de 500 anos após a revolução industrial, a quantidade e velocidade das informações que chega até nós é surpreendente.  Mídias tradicionais e populares do início do século passado, não são tão imediatas, como por exemplo, os jornais.  Sem dúvida você deve estar pensando, a internet realmente está roubando a cena.  A resposta é: Sim! E não só o imediatismo dos portais de notícias, mas as redes sociais, que iniciaram uma mudança de posições.  De meros “expectadores, leitores e ouvintes” para “geradores de conteúdo e opinião” e até mesmo podemos afirmar que “testemunhas oculares da história”, parodiando o slogan do famoso Repórter Esso. Todo o cenário vem mudando, e cada vez mais rápido, logo, a publicidade também teve que se adequar. A Publicidade teve que se aliar aos profissionais de Tecnologia da Informação, os sites tinham que ter um layout atrativo, textos de fácil leitura, boa navegabilidade e funcionamento sem erros. Um novo mercado surgiu a partir daí: as...

O seu cliente não compra produtos e sim benefícios e soluções

Você sabe o que leva uma pessoa a adquirir um produto ou serviço? Seria a sua embalagem, as cores? Na verdade o que toda pessoa busca são os benefícios que cada produto ou serviço pode trazer para a sua vida!  Os clientes não se interessam, propriamente, pelos produtos e serviços. Querem o que os produtos e serviços farão para eles. Procuram extrair valor do que é ofertado. Em um mercado competitivo, aqueles que compreendem e agregam valor tendem a prosperar. Mas o que vem a ser valor? Usando uma equação bem simples, mas que orienta verdadeiramente a decisão de compra, temos que: VALOR = VANTAGENS – CUSTOS Vantagens seriam aquelas características dos produtos e serviços que solucionam os problemas dos clientes. Quanto mais se entender os problemas dos clientes, maiores as chances de se estar criando valor. É preciso entender não só o próprio negócio, como também o do cliente. Custos obviamente envolvem o montante de dinheiro pago. Mas também podem ser custos do tipo fator tempo, esforço e custos emocionais ou intelectuais. Todos esses custos são altos demais para os clientes e destroem valor. Para os clientes, vale a pena pagar mais para ter esses custos reduzidos. Para criar valor é preciso entender o que os clientes estão comprando, para que se possa oferecer o que eles de fato querem. Você também pode criar valor ao oferecer a eles algo extra. Agrade-os ao criar soluções para problemas que adorariam que você resolvesse, mas não tem a menor esperança de vê-los resolvidos. Quando o fizer, irá superar as expectativas! Isso agrega muito valor!! O Marketing está aí justamente para isso. Entender as...

A importância da marca registrada para empresa

  A concorrência desleal entre fornecedores de produtos e serviços é fato concreto no sistema mercadológico em que vivemos. Esta vil concorrência faz com que o consumidor pague alto preço e o empresariado muitas vezes arque com prejuízo. Um dos mais eficazes instrumentos para regulação da concorrência e proteção de direitos, é a marca registrada. A empresa que obtiver marca registrada, terá direto adquirido. Certamente a noção de concorrência não é aquela que denota cooperação, mas sim a que envolve competidores, rivais no mesmo negócio ou segmento afim e no mesmo espaço temporal, todavia de forma leal. Para tanto, a marca registrada individualiza seu titular, distinguindo-o de seus concorrentes. Sendo assim, o que é Marca ? Segundo a Lei 9.279/96, “são sinais distintivos visualmente perceptíveis”. A marca identifica a origem do produto ou serviço, distinguindo-o de outro da mesma espécie, de origem diversa. A marca possui função dupla na proteção dos direitos de seu titular, sendo ativa e passiva. Entendemos como função ativa aquela pela qual o titular de marca registrada pode e deve coibir terceiros quando praticam a concorrência desleal através de imitação ou reprodução de seu sinal distintivo. E, a função passiva da marca, está fundamentada no caráter defensivo e identificador de seus produtos ou serviços, isto é, o sinal marcário protege o estabelecimento juntamente com seus produtos ou serviços de qualquer questionamento de legalidade quanto à função da propriedade industrial. A marca registrada é uma propriedade imaterial de seu titular, uma propriedade que incorpora o ativo da empresa. Quando a empresa possui marca registrada além de concorrer legalmente no mercado, a disputa é limpa, leal, não...